Trilha JONAS 01112017

ESTADUAL

 

Superintendência da Polícia Rodoviária Federal (PRF) divulgou na manhã da última segunda-feira 11/12 que de 1º de janeiro a 10 de dezembro de 2017, foram registrados 1.452 acidentes com vítimas e 206 mortes nas rodovias federais do Piauí.

jardel12

Os dados divulgados pela PRF mostrou que só no mês de janeiro foram registrados 144 acidentes, com 15 mortes; em fevereiro foram 110 acidentes, com 24 mortes; já em março ocorreram 114 acidentes, com 16 mortes; no mês de abril foram 127 acidentes e 14 mortes; em maio o número de acidentes ficou em 122, com 20 mortes; em junho ocorreram 133 acidentes, com 36 mortes; em julho foram 136 acidentes e 21 mortes; em agosto foram registrados 148 acidentes, com 16 mortes; o mês de setembro teve 119 acidentes, com 10 mortes; em outubro foram 123 acidentes, com 13 mortes; no mês de novembro ocorreram 127 acidentes e 15 mortes; já no mês de dezembro, de 1º ao dia 10, foram registrados 6 mortes.

O chefe de Comunicação Social da Polícia Rodoviária Federal, inspetor Barros Filho, afirmou que o grande número de acidentes e mortes este ano no Estado se devem a falta de respeito as normas de trânsito e consumo de bebidas alcoólicas pelos motoristas. “A lei está mudando e aumentando a pena para motoristas de cinco para oito anos de prisão. A nova lei foi aprovada pelo Congresso e falta a sansão do presidente para entrar em vigor”, afirma.

O inspetor também afirma que o aumento das mortes e acidentes foram influenciadas pelo grande número de feriados prolongados, que segundo ele, foi grande o número de motoristas flagrados em alta velocidade. “Apesar de a PRF ter realizado bastante ações educativas no trânsito, a gente percebe que é um trabalho de médio a longo prazo. Também houve um aumento no número de autuações de condutores por alta velocidade esse ano”, declara Barros Filho.

Com Informações MN

A Secretaria da Assistência Social e Cidadania-Sasc vai contratar 98 pessoas, de forma temporária, para substituição dos terceirizados que trabalham como socioeducadores no Centro Educacional Masculino-CEM. Eles deixarão de trabalhar no local após processo trabalhista movido contra a empresa que havia contratado os profissionais para prestar o serviço para o Governo.

cem

A ação foi apresentada pelo Ministério Público do Trabalho da 22ª Região. A denúncia aponta que os empregados foram contratados por uma empresa para a função de auxiliar administrativo, mas estavam trabalhando como socioeducadores no CEM. 

A sentença foi favorável aos trabalhadores. No decreto, publicado no Diário Oficial da última quarta-feira 06/11, o Governo confirma que eles terão de deixar o centro educacional e considera que há risco de paralização ou colapso dos serviços, o que justifica a contratação temporária por dois anos. 

"A saída desses profissionais acarretará a instalação do caos no funcionamento do referido Centro", diz o texto do decreto, no qual o Governo prevê ainda "instabilidade na ordem social do Estado, considerando que muitos adolescentes voltarão às ruas ficando sem assistência, sem atendimento especializado". 

Foi autorizada a contratação de 91 educadores sociais, com remuneração total de R$ 1.510,20, três técnicos em enfermagem (R$ 1.510,20), três educadores físicos (R$ 2.605) e um dentista (R$ 2.605). A Sasc fará a contratação após processo seletivo simplificado, com data a ser divulgada. O impacto na folha será de R$ 152 mil mensais. 

Com Informações CV

Pagar a conta de luz não é uma tarefa fácil para os piauienses. Além da qualidade do serviço, que constantemente é questionada pelos consumidores, a tarifa ainda é uma das mais caras do Brasil, ultrapassando o valor da média da região Nordeste, que é de R$ 0,51 por quilowatt-hora, e a média nacional, de R$ 0,49 por quilowatt-hora.

fatura

De acordo com o Ranking Nacional das Tarifas Residenciais, disponível no site da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a Eletrobras Distribuição Piauí cobra R$ 0,55 por quilowatt-hora. Esse valor torna-se ainda maior para o consumidor, quando acrescidos tributos e outros elementos que fazem parte da conta, tais como ICMS e Taxa de Iluminação Pública.

O Piauí ocupa o quinto lugar entre as Unidades da Federação onde o valor da conta de luz é mais alto, empatado com o Tocantins. Os primeiros colocados no ranking são os estados de Sergipe, Amazonas, Pará e Maranhão.

No mês de setembro, a Aneel aprovou reajuste de 27% na tarifa. O percentual foi definido levando em conta os recursos necessários para a manutenção da rede elétrica, insumos na geração e distribuição de energia, entre outros.

O aumento já foi sentido pela consumidora Layana Carvalho. Sua conta de luz subiu de R$ 64 para R$ 84 em novembro, embora a média de consumo tenha sido a mesma dos meses anteriores. “É mais dinheiro que temos que arranjar para pagar a energia. E o pior é que a qualidade do serviço não melhora”, afirma.

A principal reclamação dos consumidores é sobre a falta constante de energia. Recentemente, a fotógrafa Dayne Dantas passou cerca de oito sem luz. “Ficou um quarteirão inteiro no escuro, das 22 horas às 6 horas da manhã. É horrível para dormir nesse calor, principalmente quem tem criança”, comenta. O problema é tão frequente, que ela comprou dois ventiladores portáteis, que funcionam através de baterias.

Com Informações odia/agb

A rede social ficou em polvorosa na tarde da última terça-feira 21/11 com a informação de que o capitão Alisson Wattson do Nascimento acusado de matar a estudante Camilla Abreu teria sido solto. A informação não passou de fake news (notícias falsas) e provocou revolta na internet.

camila

 

O capitão está preso há mais de 20 dias no presídio militar. Devido as discussões e a proporção da notícia, a Polícia Militar divulgou um comunicado. Principalmente no aplicativo Whatsapp, o policial aparecia em uma foto dentro de um carro, sentado no banco de passageiro com duas pessoas, numa alusão de que estaria em liberdade. A notícia foi publicada na página do Facebook do "Plantão policial". 

Veja a nota:

A Polícia Militar do Piauí informa que não recebeu qualquer ordem judicial para colocar em liberdade o Capitão Alisson Wattson. 
Informa, ainda, que o referido oficial encontra-se preso e recolhido, no Presídio Militar, e à disposição da Justiça.

Teresina, 21 de novembro de 2017.
John Roberto Feitosa da Silva - Ten Cel PM
Diretor de Comunicação Social da PMPI


No início da semana, o coordenador da Delegacia de Homicídio, delegado Francisco Costa, o Baretta, ressaltou que o policial Alisson Wattson não poderia ser solto. Baretta garantiu que o capitão  é de "alta periculosidade" e não pode ser posto em liberdade. O Ministério Público do Estado do Piauí requereu a conversão da prisão temporária em preventiva e o pedido foi atendido. 

Com informações CV