trilhafull

ESTADUAL

 

088887

 

Um sistema recolherá denúncias de vítimas de violência por intolerância política no Piauí. O Observatório da Intolerância Política foi lançado nesta quarta-feira (17) como uma ação conjunta da OAB-PI, Defensoria Pública da União, Defensoria Pública do Estado, Ministério Público do Estado (MPE-PI), Secretaria de Segurança Pública e do Núcleo de Direitos Humanos da UESPI.

A iniciativa, segundo a OAB, sugiu diante das notícias de atos de violência por intolerância política ocorridos no atual contexto de disputa eleitoral. O observatório tem como objetivo recolher denúncias de atos seja em razão de ameaça, violência física, assassinato, ataque virtual ou dano patrimonial, prestando a orientação jurídica necessária, adotando medidas extrajudiciais e judiciais ou encaminhando os relatos para órgãos competentes na apuração criminal da violência.

“Casos de pichação, ameaças à integridade física e comentários preconceituosos em redes sociais estão entre as denúncias mais frequentes. A partir disso, nós procuramos as instituições parceiras e de Segurança Pública para discutir mecanismos para inibir tais situações”, explicou o presidente da comissão de Direitos Humanos da OAB-PI, Marcelo Mascarenhas.

O sistema fica aberto até o dia 31 de outubro de 2018, três dias após a votação do segundo turno das Eleições. As denúncias podem ser enviadas através do preenchimento de um formulário eletrônico, disponível no site da OAB-PI.

 

“Qualquer pessoa que se sinta ameaçada ou for agredida, por conta de sua opinião política, pode relatar a denúncia. O registro será feito por meio do preenchimento de um formulário, onde é possível anexar áudios, vídeos e fotos que contribuam com a apuração do ocorrido para que sejam tomadas as devidas providências”, informou Marcelo Mascarenhas.

De acordo com a subsecretária de Segurança do Piauí, delegada Eugênia Villa, o sistema, além de tomar providências diante dos casos registrados, deve contribuir para traçar um perfil dos agressores, organização dos dados para que a atuação de prevenção à violência continue de forma estratégica, mesmo após as Eleições.

O defensor público federal Benoni Moreira afirmou que os atos não passarão inertes e que serão tomadas medidas contra a violência e a intolerância. “Nossa preocupação é de que a democracia deve ser preservada sempre e o discurso violento, que prega a agressão e a eliminação de quem pensa diferente, é uma ameaça à inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade e à segurança do cidadão”, pontuou.

A principal orientação das autoridades é que vítimas denunciem os crimes e registrem um Boletim de Ocorrência (BO) para que seja instaurado um inquérito policial que possa investigar o ocorrido e possibilitar as medidas cabíveis.

 

90909090

As inscrições para o concurso público do Banco do Nordeste encerram nesta segunda-feira (15). O edital foi publicado no Diário Oficial da União (DOU), dia 14 de setembro e prevê a seleção de candidatos aos cargos de Analista Bancário (nível médio) e Especialista Técnico - Analista de Sistemas (nível superior).

As provas serão realizadas no dia 02 de dezembro em todos os estados do Nordeste, Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo e Brasília.

As inscrições podem ser feitas no site da empresa organizadora, o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos - Cebraspe: www.cespe.unb.br/concursos/banco_do_nordeste_18. O edital com todas as informações da seleção, como os salários e benefícios, está disponível na página.

Das 700 vagas disponíveis (200 para nível superior e 500 para nível médio), oito são de preenchimento imediato e as demais serão preenchidas gradativamente com o Plano de Incentivo ao Desligamento (PID) dos empregados da instituição, a ser lançado pelo BNB ainda este ano e com outros desligamentos naturais.

Os candidatos a Analista Bancário precisam ter concluído o ensino médio até a data da posse no cargo. O mesmo vale para os Especialistas Técnicos - Analista de Sistemas, que devem portar diploma de graduação em Ciência da Computação, Engenharia da Computação, Engenharia da Informação, Informática, Sistemas de Informações, Tecnologia da Informação, Processamento de Dados, Segurança da Informação, Tecnologia em Telemática ou ter pós- na área de Informática ou Segurança da Informação.

 

323239

Os 167 professores aprovados no concurso para Professor Efetivo da Universidade Estadual do Piauí, foram nomeados nessa segunda-feira (01/10), conforme publicação no Diário Oficial do Estado Nº 184. Os aprovados receberão até amanhã (03/10) o ofício para comparecerem ao Departamento de Gestão de Pessoal (DGP) da universidade, para preenchimento dos cadastros e entrega dos documentos de contratação.

Segundo a Pró-reitoria de Administração, com o recebimento do ofício, os convocados terão um prazo de até 30 dias para se apresentarem ao setor. Após a assinatura do termo de posse, o prazo é de 30 dias para iniciar as atividades.

O vice-reitor da UESPI, Evandro Alberto, destaca que a partir do momento em que os professores forem comunicados já podem comparecer a instituição para realizar os encaminhamento dos exames médicos e assinar o termo de posse. Segundo ele, esse momento representa um avanço. "São 167 novos professores que contribuirão para garantir a boa funcionalidade de todos os cursos. A expectativa é que os procedimentos de contratação sejam feitos o quanto antes para que possamos contar com os professores em sala de aula o mais breve”, disse.

Ainda de acordo com o vice, a instituição vai trabalhar pela convocação dos classificados no certame, como também para que no próximo ano seja feito um novo concurso de professor efetivo com as vagas remanescentes deste último edital e com as vagas previstas para 2019 no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) .

Para o reitor, Nouga Cardoso, esse é um momento de alegria. "Esse dia é histórico e a nossa universidade está em festa. Em breve os novos professores efetivos vão estar em sala de aula e todos serão bem recebidos", comemora.

Concurso para Professor Efetivo

O certame para Professor Efetivo foi realizado em fevereiro de 2018 disponibilizando 197 vagas, distribuídas em 26 áreas do quadro de docente da instituição, nos 12 campi, para as classes: Professor Auxiliar (Especialista), Professor Assistente (Mestre) e Professor Adjunto (Doutor), com regimes de trabalho Tempo Parcial (20 horas) ou Tempo Integral (40 horas). A convocação dos aprovados já está disponível no site da universidade.

121213

O Ministério da Educação (MEC) solicitou ao presidente Michel Temer o adiamento do início do horário de verão em razão das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O horário de verão está previsto para iniciar no dia 4 de novembro, data marcada para a realização do primeiro domingo de provas do exame.

Com o início do horário de verão, os relógios em dez estados e no Distrito Federal devem ser adiantados em uma hora. A avaliação do MEC é que a alteração no horário poderia gerar confusão, fazendo com que candidatos possam perder o exame por conta da alteração no horário.

As datas das provas do Enem foram divulgadas pelo Ministério da Educação (MEC) em 18 de janeiro deste ano para os dias 4 e 11 de novembro. No dia 4, serão aplicadas as questões de linguagem, ciências humanas e redação, com duração prevista de 5h30. No dia 11, será a vez das questões envolvendo ciências da natureza e matemática, com duração de 5h. A abertura dos portões será às 12h e o fechamento, às 13h.

Tradicionalmente, o horário de verão tem início partir da meia-noite do terceiro domingo de outubro. Mas, um decreto do dia 15 de dezembro do ano passado, alterou a data, definindo que o início do horário de verão ocorra no primeiro domingo de novembro.

A alteração atendeu a um pedido do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que havia solicitado que a mudança não coincidisse com o segundo turno das eleições deste ano, marcado para 28 de outubro.

O tribunal argumentou que a alteração visava dar mais agilidade na apuração e divulgação dos resultados das eleições. Segundo o TSE, a realização do segundo turno durante o horário de verão teria o início das apurações com horários diferentes em alguns estados que não implantam o horário de verão.

Ainda não há uma resposta do Palácio do Planalto a respeito do pedido do MEC. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) não discute a possibilidade de alterar das datas das provas. Caso o pedido não seja acatado, o horário de verão começará à 0h do dia 4 de novembro e terminará em 16 de fevereiro de 2019.

Durante este período, os relógios serão adiantados em uma hora nos municípios dos estados de Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul , Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Distrito Federal.