trilhaunook

ESTADUAL

 

34455550

O Governo do Estado, por meio da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Piauí (Adapi), lançou nota técnica, no último sábado (13), na qual confirma o segundo foco de peste suína clássica (PSC) em território piauiense. A doença, também chamada de febre suína ou cólera dos porcos, foi identificada em outra propriedade no município de Lagoa do Piauí, próximo ao local onde o primeiro foco havia sido encontrado.

O Grupo Especial de Atenção às Enfermidades Emergenciais ou Exóticas (Gease) da Adapi recebeu o laudo positivo no final da sexta-feira (12) e no dia seguinte executou todos os rigorosos procedimentos presentes na legislação federal, a Instrução Normativa Nº 27, de 20 de abril de 2004, do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, que consistem desde o abate dos animais à sanitização de veículos, pessoas e objetos que tiveram contato com os porcos. Ao todo, quinze suínos foram sacrificados. Somados aos seis do primeiro foco, totalizam-se 21 animais abatidos no estado até o momento.

O gerente de Defesa Sanitária Animal da Adapi, José Idílio Moura, conta que o encontro do novo foco foi resultado do trabalho contínuo que tem sido feito na região de Lagoa do Piauí somado ao empenho dos órgãos do setor e apoio dos produtores rurais. “Nós intensificamos a vigilância em todo o município. Estamos colhendo material para encaminhar ao laboratório. Nesta propriedade, o material foi colhido durante a semana e então obtivemos a confirmação, exatamente por conta da intensificação da vigilância na região. Se a gente deixasse quieto, não encontraríamos”, ressalta.

Moura pede ainda que a população contacte a Adapi assim que algum sinal clínico seja detectado nos suínos (veja quadro abaixo) a fim de evitar que a doença se propague. “Estamos tendo o feedback, o produtor está nos comunicando das suspeitas e estamos muito eficientes na vigilância. Também estão aqui o Ministério da Agricultura, a Superintendência Federal da Agricultura, a prefeitura que está dando todo o apoio cedendo maquinário, pessoal, e o Batalhão Ambiental da Polícia Militar”, descreve.

77776666

O secretário estadual de Defesa Civil, Raimundo Coelho, afirmou, na sexta-feira (05/04), que cerca de 10 mil pessoas estão alagadas ou desabrigadas no Piauí nos municípios de São Raimundo Nonato, Luis Correia, Parnaíba, ilha Grande, São João do Arraial, José de Freitas, Lagoa Alegre, Capitão de Campos, Campo Largo, Barras, Esperantina e Batalha.

Ele afirmou que muitas famílias mesmo alagadas se recusam a sair de suas casas, outras estão nas casas de parentes e amigos. Ele declarou que no Piauí , cada família tem uma média de quatro pessoas.

Raimundo Coelho disse que existem 853 famílias desabrigadas em Parnaíba, 400 famílias desabrigadas em Luís Correia, 60 famílias desabrigadas em Teresina, 200 famílias em Ilha Grande e 400 famílias desabrigadas em Barras.

Ele declarou que estão em situação de alerta os municípios de Miguel Alves, União, Porto e Luzilândia porque a tendência é aumentar as águas do rio Parnaíba e alagar as famílias das quatro cidades.

O secretário de Governo, Osmar Júnior , afirmou que o Governo do Estado vai distribuir colchões e cestas de alimentos para as famílias que tiveram suas casas destruídas na noite de quinta-feira no Parque Rodoviário, na zona Sul de Teresina.

W. Dias afirma que pediu recursos para os municípios alagados e decreta situação de emergência em 15 municípios

O governador Wellington Dias (PT) , afirmou , ao visitar as famílias que tiveram suas casas desmontadas no Parque Rodoviário , na zona de Teresina, que, junto com a bancada em Brasília, solicitou ao Governo Federal recursos para atender as famílias atingidas pelas enchentes no Estado.

Wellington Dias afirmou que decretou estado de emergência em 15 municípios e vai para Luiz Correia e outros municípios para dar amparo às pessoas desabrigadas, inclusive do Parque Rodoviário.

888888

O açude Caldeirão registrou na terça-feira (02/03), a maior cheia desde 1974. De acordo com os registros do DNOCS (Departamento Nacional de Obras Contras as Secas), o açude amanheceu com 1,35 (um metro e trinta e cinco centímetros) sobre lâmina do sangradouro, devido a grande chuva que caiu nos últimos dias nas cabeceiras e riachos que desaguam na grande barragem.

A cheia foi uma das maiores das últimas décadas, perdendo apenas para a última registrada em 1974, que foi de 1,52 (um metro e cinquenta e dois centímetros) acima do sangradouro.

Na época, o DNOCS se preparava para colocar lonas no final da parede do açude, pois a água estava quase sangrando nessa parte, o que não aconteceu, foi aberta a comporta do canal de irrigação, mas também a vazão no sangradouro foi o suficiente para as águas baixarem rapidamente.

A precipitação pluviométrica registrada na terça foi 97,7 mm, o acumulado no ano 1.282,0 mm. As churrascarias nas proximidades ficaram tomadas pela água.

bolsa1

O prefeito Professor Ribinha, juntamente com a secretária de Social - Nilzana Gomes fizeram na noite desta terça-feira, 19.03 o lançamento da 3ª Edição da AMORARTE - Feira de Artesanato de Campo Maior, que acontecerá dias 2 e 3 de agosto.

O tema da feira nesta edição é: " Bem vindo a nossa terra". "O tema visa enaltecer Campo Maior com suas potencialidades culturais, naturais e turísticas", destacou a secretária.

O prefeito Professor Ribinha parabenizou toda a equipe da SEMAS, saudou todos os parceiros, os empresários por estarem presentes ao lançamento, que segundo ele, a cada ano ganha maior proporção no senario regional.

"Eu sou muito grato por todos vocês participarem porque trata-se de um investimento para nossa cidade e para o nosso povo", falou, refletindo que a AMORARTE é um evento que deu certo e faz parte do calendário das atividades culturais da cidade.

A apresentação do projeto foi feita pelo publicitário Wellington Coelho, que desde a primeira edição vem pensando os temas juntamente com a secretária Nilzana e sua equipe.

O lançamento da Feira acontece no Salão do Centro de Convivência do Idoso e contou com a presença de secretários municipais, vereadores, a representantes do Banco do Nordeste (Crediamigo) Tânia Cristina e LeideO Marcia e populares.

O objetivo da Feira é desenvolver, valorizar e fomentar o trabalho dos artesãos de Campo Maior é região. A AMORARTE é a primeira iniciativa do Estado do Piauí onde o foco principal é o artesanato.

Em 2017 foi comercializado mais de RS 50 mil, em 2018 as expectativas foram superadas, chegando a comercializar R$ mais de 68 mil reais em dois dias de feira.

No ano passado foi feita uma homenagem temática a Batalha do Jenipapo, e este ano o tema visa enaltecer Campo Maior.

EXPECTATIVA DOS ARTESAOS

Para os artesãos Valdenir Monteiro e Monteiro e Nenê Artes, a feira representa uma oportunidade para eles produzirem, melhorar a qualidade da produção, tornar o trabalho deles conhecidos e comercializarem mais suas produções.

"É minha primeira vez que estou participando do amorarte. O projeto apresentado no lançamento foca no artesanato local que busca valorizar a criatividade, a identidade local proporcionando a capacitação aos artesãos. Minhas expectativas são as melhores em relação ao Amorarte. Estou muito ansiosa para apresentar meu trabalho em arte em crochê aos visitantes das feira e a mídia que cobre o evento. Já no lançamento, recebi um ótimo retorno dos participantes em relação as minhas peças, onde já recebi encomendas no próprio lançamento. Há mais ou menos a 1 ano faço gurumim, uma técnica japonesa que utiliza o crochê para faze animais, plantas, comidas e outros objetos com características humanas. Nas minhas peças uso fio 💯 algodão, olhos com travas e enchimento antilaergico. Estás podem ser lavadas. Vejam meu trabalho no Instagram: @artzarum Facebook: zarum" - Doraneide Costa Rodrigues

 

Texto e fotos - Valdamir Alvarenga