trilhaoutubro2018

Juiz que revogou prisão do assassino de Iarla Lima assume processo Camilla Abreu

O juiz Antônio Reis de Jesus Nollêto assumiu o processo do feminicídio contra a estudante de Direito Camilla Abreu, morta pelo então namorado Alisson Wattson, também capitão da Polícia Militar do Piauí (PM-PI). O magistrado é criticado pela opinião pública por revogar a prisão preventiva do assassino de Iarla Lima, José Ricardo da Silva Neto (ex-tenente do Exército) e dos acusados da morte do policial Claudemir Sousa – na época, cabo da PM. A troca de escala foi feita na última quinta-feira (1º/03), com base na distribuição do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI).

camilaiarlaj

Com as férias da juíza Zilnar Rocha, responsável por decidir se o caso vai ou não a júri popular, Antônio passa a mediar as alegações finais da defesa e acusação de Alisson Watsson. O réu, que se manteve calado nas oitivas, torce para que a sentença seja determinada por um juiz. Isso é o oposto do que a acusação pede, preocupada também com a possibilidade de soltura do acusado, já que existe um requerimento do advogado Pitágoras Veloso nesse sentido.

“DESCRÉDITO NA JUSTIÇA”

Como Alisson é réu primário, não possui antecedentes criminais, tem residência fixa e alega transtorno de personalidade, com tratamento psiquiátrico desde abril de 2017, há muitas brechas legais que podem fazer com que ele responda o processo em liberdade. Em nome da advogada Ravenna Castro, assistente de acusação do Ministério Público (MP-PI), é pedido que Nollêto considere o nível de periculosidade do réu para as testemunhas, ordem pública e para o próprio acusado, caso a prisão preventiva seja revogada.

PROTEÇÃO ÀS TESTEMUNHAS

Com repercussão na imprensa local, manhã desta sexta-feira (02/03), após reportagem deste portal noticiar que duas amigas da Camilla Abreu temem soltura do réu, inclusive com a informação de que a advogada Ravenna teria contratado seguranças particulares, um pedido de inclusão das testemunhas-chave num programa de proteção está sendo feito à Justiça.

Com Informações oitoemeia