trilhafull

ESTADUAL

 

667122

A reaplicação da prova do concurso da Polícia Militar do Piauí (PM-PI) será no dia 2 de julho. A data foi divulgada nesta terça-feira (23) pelo reitor da Universidade Estadual do Piauí (Uespi), Nouga Cardoso, e o comandante geral da PM, Carlos Augusto, durante entrevista coletiva na sede da Polícia Militar. Eles também anunciaram que a elaboração e impressão das novas avaliações serão feitas fora do Piauí por outra instituição.

Após detectar tentativas de fraudes, a primeira fase do concurso, realizada no último domingo (21), foi anulada e será repetida para os mesmos candidatos. Para garantir segurança e sigilo, as novas provas serão elaboradas e impressas por outra instituição de fora do estado, contudo, as outras etapas do concurso continuarão sob a coordenação do Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos (Nucepe).

“A elaboração e impressão desta e de outras provas de novos concursos da PM serão realizadas fora do estado. A decisão foi tomada pensando nos milhares de candidatos. São 32 mil inscritos e não haverá nenhuma abertura de contrato de novas inscrições. O edital e os locais de aplicação da prova também continuam iguais. Qualquer novidade será divulgada no site do Nucepe, da PM e por meio da imprensa”, explicou o reitor Nouga Cardoso.

Após verificar com a equipe da Segurança Pública, analisando as ocorrências da aplicação do último concurso da PM, o governador entendeu, junto a Coordenação de Concursos da Uespi, pela manutenção do certame. “Não existe nenhum indício material de envolvimento de pessoas da universidade e do Nucepe”, afirmou.

Segundo o comandante Carlos Augusto, a presença da Polícia Militar e Civil no último certame trouxe uma segurança grande na aplicação das provas e esse compromisso continuará no dia da reaplicação, inclusive com a possibilidade de intensificação do serviço. “O governador recomenda e entende que a população merece essa atenção especial, proporcionando probidade e transparência nesse concurso para que nenhuma dúvida venha a aparecer no resultado final”, pontuou.

900045

A Polícia Rodoviária Federal prendeu três fugitivos da penitenciária Major César na BR-343, km 333, em Teresina na noite do último sábado (20).

Após denúncia da fuga de presos da penitenciária, os policiais abordaram um caminhão em que o condutor seguia com três passageiros. Os três foram interrogados e confessaram que haviam fugido da penitenciária.

Após realização dos procedimentos cabíveis, os presos foram encaminhados para a penitenciária Major César.

 

Fonte: Com informações da PRF-PI

33001

A bandeira tarifária vermelha de patamar 1 deve continuar a elevar o preço das contas de luz até o fim do período seco, em novembro, quando o volume de chuvas deve aumentar e elevar o nível dos reservatórios de hidrelétricas brasileiras. A previsão é do diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Luiz Barata.

A bandeira tarifária vermelha é acionada quando é preciso ligar usinas termelétricas, que produzem energia com custo maior que as hidrelétricas.

“As nossas avaliações são de que, ao longo do período seco, o preço vai subir, porque cada vez mais vamos precisar das usinas térmicas. Se o lado benéfico delas é o fato de serem presumíveis e gerenciáveis e termos o controle dos combustíveis, o outro lado é serem mais caras”, disse Barata.

Segundo o diretor do ONS, em novembro, os reservatórios do Sudeste estarão com 20% da capacidade, e os do Nordeste, possivelmente abaixo dos 10%.

Quando a bandeira vermelha patamar 1 está em vigor, os consumidores pagam R$ 3 a mais para cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. Em 2017, a bandeira patamar 1 está em vigor desde abril.

Campanha de conscientização
Barata informou que o governo pretende fazer uma campanha para estimular o uso de energia elétrica sem desperdícios. No entanto, segundo ele, não há previsão de racionamento.

“Não há risco de desabastecimento, mas existe quase uma certeza de encarecimento de energia, que às vezes só aparece no ano que vem, quando houver o reajuste tarifário.”

O diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Romeu Rufino, disse que a proposta da campanha já foi discutida em reunião do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico e que a medida deve ser lançada no segundo semestre.

(Com informações da Agência Brasil)

 
 
 

04505

A Ação de nº 0801394.09.2017, que tramita na 1ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Teresina contra o Diário Oficial dos Municípios e que objetiva, na prática, o seu fechamento, tem como patrocinador nada mais, nada menos, que o advogado Marlon Jacinto Reis que se apresenta como o idealizador da “ficha limpa”. 

Marlon Jacinto, que é ex-Juiz de Direito do Estado do Maranhão, afastado que foi do exercício da Magistratura, em decorrência de incompatibilidade prevista no Art 28, II da Lei 8.906/94, embora tendo sido apenas um dos redatores do projeto de iniciativa popular recepcionado e aprovado pelo Congresso Nacional que deu origem à chamada Lei da “ficha limpa”, gosta de apresentar-se como o seu idealizador e autor intelectual, usando isso como forma de tentar influenciar Juizes, Desembargadores e Conselheiros de Tribunais de Contas em favor de seus clientes.  

O Diário Oficial dos Municípios, que, na opinião do Promotor Ruszel Lima Verde, então Coordenador do CACOP “... é o mais importante auxiliar do Ministério Público na Fiscalização da gestão municipal”, vem se constituindo no maior empecilho para que a “Máfia das Licitações” possa instalar- -se também no Piauí, na medida em que permite uma efetiva vigilância das administrações municipais, por parte das autoridades que compõem a REDE DE CONTROLE DA GESTÃO PÚBLICA, de que fazem parte, entre outras, instituições como TCE, GAECO, PF, MPE, MPF, possibilitando-lhes um efetivo e permanente acompanhamento das publicações legais nele realizadas, na condição de órgão sobre o qual o Tribunal de Contas exerce o mais rígido e efetivo controle, inclusive com o permanente acompanhamento de suas edições diárias, arquivadas na sala-cofre daquela Corte de Contas, ao longo das últimas duas décadas. 

Tal excelência de qualidade, uniformemente apresentada durante toda uma história de bons serviços prestados à transparência da gestão pública municipal, tem atraído, como não poderia deixar de ser, a insatisfação de maus empresários e maus gestores que vêem seus interesses contrariados, principalmente no que diz respeito ao superfaturamento de bens e serviços, forma mais corriqueira de desvios de recursos públicos, atualmente em prática na maioria dos Municípios brasileiros. 

Assim é que chegou ao nosso conhecimento que, numa ação articulada entre maus empresários dos ramos de merenda escolar e medicamentos e maus gestores municipais, foi contratado um ex-juiz afastado da Magistratura Maranhense, que atende pelo nome de Marlon Jacinto Reis, para, através de uma ONG por ele mesmo criada e por ele mesmo dirigida, ingressar com uma Ação Civil Pública contra o Diário Oficial dos Municípios, na qual, envolveu também o Tribunal de Contas do Estado; em parte, por retaliação, em virtude da lisura com que age a respeitada Corte de Contas na fiscalização da gestão pública do Piaui; e, em parte, com objetivos intimidatórios, pois, imediatamente após o ajuizamento de tal ACP, procurou o TCE propondo a retirada do nome da instituição daquilo que poderia vir a transformar- -se em uma desgastante demanda; desde que, para isso a Corte de Contas, acovardada como se algo de mau tivesse praticado, declarasse a nulidade de todos os Contratos mantidos pelo Diário Oficial dos Municípios com as Prefeituras do Estado, abrindo, com isso, a possibilidade da participação em certame licitatório a qualquer empresa sem a suficiente idoneidade e a “notória especialização” desejáveis: verdadeira chantagem, a que não se submeteu o Tribunal e que obteve, de imediato, o repúdio de todos quantos formam a Egrégia Corte de Contas do Estado. Não contava o advogado detentor de procedimentos tão pouco recomendáveis, com a firmeza do Presidente Olavo Rebelo - firmeza essa, advinda de uma história de vida pública ilibada e inatacável; nem, tampouco, também, contava o Juiz Afastado, com a integridade dos demais Conselheiros, que, juntamente com Auditores Fiscais e todos quantos formam o corpo técnico de nossa Egrégia Corte de Contas, que, repudiaram de imediato e de forma incisiva, a vil chantagem que lhes tentava ser impingida.