trilhaunook

GERAL

89900

A estudante de Odontologia Maria Fernanda Ferreira de Lima, de 20 anos, morreu eletrocutada na madrugada deste domingo, no Terreirão do Samba, na Praça Onze, Região Central do Rio. Segundo amigos, ela levou um choque ao encostar numa barra de ferro em uma área de acesso restrito da produção de um festival de funk. Uma amiga de Fernanda, identificada apenas como Maria Luíza, também levou um choque, mas passa bem.

O caso aconteceu por volta das3h30, na madrugada deste domingo, quando o Terreirão estava lotado para assistir a apresentações de uma série de DJs. Maria Fernanda chegou a ser socorrida por equipes médicas que estavam de plantão no evento. Segundo amigos, enquanto recebia os primeiros atendimentos, Ela morreu no Hospital Souza Aguiar depois de sofrer quatro paradas cardíacas.

Estudante do 1º período de Odontologia da Universidade Veiga de Almeida (UVA), Maria Fernanda morava no Grajaú. A estudante era a caçula de uma família com quatro irmãs. Ela foi à festa junto com um grupo grande de amigos.

- Maria Fernanda estava na área de produção a convite de uma amiga, que namora um dos organizadores. Ela encostou na grade e na mesma hora levou um choque. Perdi minha melhor amiga. Eu a considerava como irmã - contou Pablo Vieira Figueiredo, de 21 anos, também aluno de Odontologia da Veiga de Almeida.

Colega de sala de Pablo e amigo de Maria Fernanda, Pedro Augusto Loureiro contou que o grupo de amigos estava dividido. Alguns sugeriram que todos fossem acompanhar o desfile de um bloco de carnaval que sai mensalmente nas ruas do Centro uma vez por ano, independente da ocasião do ano. Mas como parte já havia comprado ingressos para o evento no Terreirão optaram pelo festival de funk.

O evento foi organizado pelo coletivo Puff Puff Bass e realizado com autorização da Secretaria municipal de Cultura (SMC) , que faz a gestão do Terreirão do Samba, tendo cedido o espaço em troca de 15% da bilheteria. Em nota, a SMC informou que está colaborando com a polícia e o local onde ocorreu o acidente passou por inspeção da policia civil na manhã deste domingo. Por sua vez, a produção do evento divulgou uma nota por redes sociais nas quais lamentou a morte da estudante universitária.

" Estamos totalmente desolados com o ocorrido e ficamos inteiramente à disposição para qualquer suporte necessario. Estamos trabalhando junto a autoridades competentes para esclarecer de fato o que provocou tal fatalidade. O dia é de extrema tristeza e de luto'', diz um trecho da nota .

 

2134

O presidente Jair Bolsonaro fez uma espécie de desabafo e um 'mea culpa' diante das dificuldades que o cargo impõe. "Desculpem as caneladas. Não nasci para ser presidente, nasci para ser militar", disse em discurso no Palácio do Planalto para inauguração do Espaço de Atendimento de Ouvidoria da Presidência da República. Na quinta, o presidente também se desculpou pelas "caneladas" em reunião com presidentes de alguns partidos, segundo o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.

Nesta sexta, em tom de brincadeira, ele também afirmou que às vezes se pergunta o que fez para "merecer isso". "Às vezes me pergunto, meu Deus, o que fiz para merecer isso? É só problema", afirmou sobre a função de presidente da República, rindo, ao finalizar sua fala no evento de inauguração. Ele deu a declaração ao falar que não possui qualquer ambição e que não lhe "sobe à cabeça" o fato de ser presidente.

Depois do evento, ao ser questionado se o cargo é mais difícil do que pensava, o presidente negou e falou que "sabia das dificuldades por ser um País grande". Ele justificou que existem "muitos vícios no Brasil". Citou como fatores de preocupação a violência, a empregabilidade e a educação. Sobre a fala de que "não nasceu para presidente", disse, aos risos, que "tem que se virar para não ser engolido".

Questionado se os problemas mencionados no discurso estariam relacionados também às dificuldades no diálogo com parlamentares e partidos políticos, respondeu que "cada um vai defender seus interesses" e que "isso é natural". "Temos que convencer o pessoal para mostrar a questão da (reforma) da Previdência. Se não aprovar agora, pelo menos grande parte, daqui dois a três anos vai faltar dinheiro para pagar quem está na ativa, vamos virar uma Grécia", declarou na coletiva de imprensa.

O presidente voltou a admitir que a proposta de capitalização na reforma da Previdência poderá não ser aprovada pelo Congresso e deixar a proposta para outra oportunidade. Ele já havia falado sobre a possibilidade em café da manhã com jornalistas, pela manhã.

"Nós queremos aprovar o que está aí, mas se os parlamentares entenderem que está complicado, difícil de explicar agora, podem decidir deixar para outra oportunidade", disse na tarde desta sexta a jornalistas. "A gente gostaria que a proposta enviada fosse aprovada na íntegra, mas com toda certeza vai ser aperfeiçoada por parte do parlamento", minimizou Bolsonaro.

 

212189999

O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, vai se tornar cidadão piauiense. E a proposta não foi feita pelo deputado do partido dele na Assembleia não, mas pelo deputado estadual Henrique Pires, do MDB. O deputado estadual do PRTB é Fernando Monteiro.

Foi protocolado e deve começar a tramitar na próxima semana a proposta de Decreto Legislativo de autoria do deputado emedebista que concede o título a Mourão. Henrique Pires argumenta, com razão, que embora tenha nascido no Rio Grande do Sul, o general tem suas raízes no Piauí, onde nasceu seu avô, Antonio Hamilton Mourão, na cidade de Pedo II.

A proposta deve entrar na pauta da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), da qual o deputado é vice-presidente, já na próxima terça-feira.

Mourão virá a Teresina no dia 26 deste mês, para participar de convenção lojista, a convite do senador Elmano Férrer. Ele também manifestou a vontade de ir a Pedro II conhecer seus primos e demais parentes. Mourão é primo, por exemplo, do desembargador Luiz Gonzaga Brandão de Carvalho e o desembargador federal Carlos Augusto Brandão de Carvalho.

O convite para ir a Pedro II também foi feito a Mourão pelo ex-deputado federal Paes Landim.

 

 ag2

Secretária Conceição Lima na parceria com o SAAE

A Secretaria Municipal de Educação de Campo Maior realizou uma semana de conscientização sobre a utilização racional da água, sem desperdício. Segundo a secretária de Educação Conceição Lima, a programação foi com palestras nas escolas, desenvolvimento de projetos, concurso de desenho e outras atividades como caminhada.

Na escola Hilson Bona foi desenvolvido o projeto Água é vida. " O objetivo foi sensibilizar os alunos a descobrirem os sintomas e as causas reais dos problemas que o Brasil enfrenta com poluição e falta de água,conscientizando-os da necessidade de seu uso racional", explicou a professora Ivonete Alves Araújo Paz.

Além da programação nas escolas, a secretária Conceição Lima se reuniu com o diretor do SAAE Carlos Torres e a equipe do órgão que trabalhou ações de conscientização no município em parceria também com a Secretária de Meio Ambiente do município, que tem como responsável a secretária Conceição Paz e o de Trânsito o Major Paz, que participou das caminhadas.

ag6

Escola Mano Gayoso Castelo Branco - Bom Lugar

ag7

Escola Nossa Senhora das Mercês - Bairro São João

ag13

Escola Hilson Bona - Centro

ag10

Zenita Pires - Localidade São Joaquim

ag5

Secretaria de Educaçao em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente -  na concientização no Centro da cidade

ag

ag4 

ag8

 

agg1

agg2

 llh

No ano passado a Secretaria (SEMED) - com a Escola Mano Gayoso ganhou um

prêmio  com um projeto de reaproveitamento da água. O prefeito Professor Ribinha,

a secretária e os professores receberam a premiação.

Texto - Valdamir Alvarenga

paraiba60pronto