trilhafull

Greco monta plano para barrar fraude em concurso do MPE e monitora candidatos

Policiais civis e membros do Ministério Público do Piauí à paisana atuarão dentro dos pontos de aplicação de provas do concurso do MPE-PI que acontecerá neste domingo (23). A estratégia visa coibir fraudes no certame. De acordo com a Polícia Civil do Piauí, em concursos anteriores, 120 candidatos foram indiciados por fraude ou tentativa de fraude a concurso público. 

"A intenção é que o certame transcorra dentro das previsões legais, regimentais, dentro do sistema de segurança. O foco será o monitoramento dos candidatos e, se for o caso, haverá repressão de algum ato que venha atentar contra a lisura do concurso. Vamos ter membros do MP e policiais disfarçados entre os candidatos para acompanhar as pessoas, eventualmente, identificadas como fraudadoras", ressalta Cleandro Moura, procurador-Geral de Justiça do Piauí. 

d728c07fcf4f6fdc7af60f72918549df

Mais de 16. 500 inscritos disputam 26 vagas de analistas e técnicos ministeriais. Cerca de 200 policiais civis reforçarão a segurança diretamente nos locais de provas, com suporte na área de Inteligência, além de equipes para lavraturas de possíveis flagrantes. 

O promotor Rômulo Cordão, coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), diz que candidatos suspeitos de tentativa ou fraude a concurso público em outros certames no Piauí e em outros estados estão sendo monitorados. 

"O MP não admite que pessoas com essa índole, que fraudam concurso, possam entrar na instituição. Vamos fazer um trabalho forte neste sentido", disse o promotor

O delegado-Geral da Polícia Civil, Riedel Batista, frisa que os candidatos estão sendo monitorados desde a fase de inscrição no certame. 

"A Inteligência está minitorando pessoas que são investigadas, indiciadas, denunciadas ou processadas pela Justiça do Piauí ou de outros estados que estejam inscritas nesse concurso. Nada impede a inscrição dessas pessoas em concurso público, mas saibam que estarão sendo acompanhadas de perto. A intenção é impedir qualquer tipo de fraude", disse Batista. 

O delegado orienta aos candidatos que revisem o edital e não adentrem aos locais de aplicação de provas com o celular, mesmo que o aparelho esteja desligado. 

"Em qualquer tentativa de fraude, o candidato será preso. Temos as regras do edital que proíbe várias condutas. Se o candidato for flagrado com celular será preso e eliminado do concurso, mesmo que o aparelho esteja desligado, pois pode emitir sinais para o repasse do gabarito, por exemplo", alerta Riedel Batista. 

O coordenador do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), Willame Moraes, completa que, na entrada dos pontos de aplicação de provas,  os candidatos serão revistados com detectores de metais e que a Polícia Civil conta ainda com equipamentos eletrônicos para detectar fraudes. 

O promotor de Justiça Sinobilino Pinheiro acrescenta que, na tarde desta quinta-feira (19), todos os envolvidos na segurança do certame se reunirão para traçar diretrizes concretas de monitoramento para o dia da prova.

"Estamos juntando forças de Inteligência e expertise de investigação entre o Gaeco, Greco e Núcleo de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública. Estamos somando esforços também com o objetivo de ter um concurso com a mais alta lisura, até porque o MP é uma instituição estratégica para o combate ao crime organizado e temos que zelar pela entrada das melhores pessoas, as mais qualificadas e acima de tudo, probas", completa Sinobilino Pinheiro.


Publicada às 9h40

O Ministério Público do Estado do Piauí realizará no próximo domingo(23) as provas do concurso público para o órgão. Para auxiliar a fiscalizar a aplicação, o MP firmou parceria com a Polícia Civil. 

O objetivo da parceria entre Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do MPPI e o Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), da Polícia Civil é coibir fraudes, considerando o histórico de investigações acerca das práticas criminosas verificadas em outros concursos no Piauí. 

De acordo com o MP, a meta é privilegiar a atuação preventiva. As provas serão aplicadas nos turnos manhã e tarde e devem preencher 26 vagas dos cargos de Analistas e Técnico Ministerial, além de formação de cadastro de reserva. A remuneração é R$ 4.023,03 para nível médio e R$ 6.241,11 para nível superior, para 30 horas semanais de jornada de trabalho.

O concurso é organizado pela Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da  Universidade de Brasília (Cespe/UnB).

Uma coletiva será realizada, nesta quarta(19), com a presença do procurador-Geral de Justiça do Piauí, Cleandro Moura, o delegado-Geral da Polícia Civil, Riedel Batista, um representante do Gaeco, o coordenador do Greco e a delegada responsável pela investigação no auditório da Procuradoria Geral de Justiça, no Centro.

Com informações CV

paraiba60pronto