trilhaoutubro2018

Homem suspeito de estuprar enteadas é preso com drogas no ânus

Um homem de 41 anos foi preso na última segunda-feira 08/01 por volta das 9h30 suspeito de estuprar as enteadas no centro de Cajueiro da Praia, 396 km de Teresina. Segundo a polícia, a denúncia foi feita pelas próprias vítimas, uma garota de 14 e outra de 16 anos, que disseram que os abusos aconteciam há cinco anos. Com o homem, a polícia aprendeu maconha e crack escondidos em suas partes íntimas.

homemestu

De acordo com informações da guarnição da Companhia Independente Policiamento Turístico (CIPTUR) as vítimas denunciaram o padrasto no último sábado (6), mas inicialmente a denúncia foi desacreditada porque os policiais acreditavam que o caso poderia ser apenas um "atrito" entre o padrasto e enteadas.

A PM conta que as jovens retornaram novamente à delegacia na segunda-feira (8) para registrar os abusos e relataram para a polícia que os abusos aconteciam desde que a mais nova tinha apenas nove anos. A polícia foi até a casa da família para constatar o fato. Quando chegaram ao local, o suspeito tentou reagir usando uma espingarda de fabricação caseira, mas imediatamente foi impedido pelos policiais.

O homem foi encaminhado à delegacia de Luís Correia para prestar depoimento e, ao chegar lá, os policias perceberam que o suspeito estava caminhando de forma "diferente", então fizeram uma revista minuciosa e encontraram, nas partes íntimas do homem, um frasco de acetona com aproximadamente 80 pedras de crack mais duas porções prensadas de maconha e uma quantia em dinheiro no valor de R$ 910.

“Ele estava caminhando 'todo duro', aí a gente fez outra revista, mais minuciosa. Quando ele 'baixou as calças', foi encontrado um frasco de acetona com pedras de crack. A gente supõe que o frasco estava dentro do ânus, por que na revista que foi feita na casa dele, não encontraram nada” disse o capitão Galeno.

O caso das adolescentes foi encaminhado para o Conselho Tutelar. O suspeito está preso e vai responder por tráfico de drogas, porte ilegal de armas e possível estupro de vulnerável, caso seja comprovado através dos exames feito pelas vítimas.

Com Informações G1

paraiba60pronto