trilhaoutubro2018

Crianças escravas de seita são resgatadas em Campo Maior

Na tarde desta terça-feira, 06/02 uma força tarefa da Polícia Civil e Militar em conjunto com o Conselho Tutelar de Campo Maior, resgatou um grupo de crianças que estavam sendo usadas para a pratica de trabalho infantil no município. Segundo informações obtidas por nossa equipe de reportagem, o Conselho Tutela de Teresina solicitou e a Justiça concedeu o pedido de Busca e Apreensão dos menores através de carta precatória ao Juízo da 3ª Vara da Comarca de Campo Maior.

ddelegaciacm

Ainda segundo a denúncia do Conselho Tutelar, um grupo de mulheres retirava as  as crianças de suas famílias sob pretextos religiosos (suposta seita). Sendo estes menores levados a cidades diferentes e distantes de suas cidades de origem sendo explorados em trabalho forçado. No município de Campo Maior, era possível ver essas crianças vendendo cocadas no centro da cidade.  

A Polícia identificou o local onde os menores eram mantidos e desarticulou o grupo que alugou uma casa na BR 343, próximo ao Capote do Macedo na comunidade Alto do Meio, em Campo Maior. Os menores moravam e fabricavam as cocadas e viviam em péssimas condições. Segundo os policiais as crianças viviam em condições sub-humanas, e as cocadas feitas de forma artesanal sem nenhum cuidado de higiene durante a fabricação. 

Durante a operação os policiais resgataram alguns menores no local e outros vendendo cocadas na Avenida Santo Antônio, a polícia acredita que outros quatro menores estão desaparecidos. Os menores foram levados à Delegacia Regional de Campo Maior e em seguida levados para um abrigo na Capital. As mulheres suspeitas do abuso não foram localizadas, uma delas foi identificada como sendo Maria Osana. 

paraiba60pronto