trilhaunook

O capitão da Polícia Militar Alisson Wattson, réu pelo feminicídio da estudante Camila Abreu em outubro do ano passado, ainda não pode ser considerado um ex-membro da corporação.

Ontem, o Portal O DIA mostrou que o capitão não foi transferido do presídio militar para uma penitenciária comum e continua recebendo o salário de aproximadamente R$ 8 mil mensais. Mas, somente hoje foi possível descobrir por que o processo de exoneração está parado.

camila abraul

Uma das constatações é que o documento assinado pelo governador Wellington Dias (PT) demorou para sair da Procuradoria Geral do Estado e chegar ao Tribunal de Justiça. O parecer favorável à exoneração foi dado no dia 3 de maio, mas só foi encaminhado para o TJ no dia 29.

O processo foi distribuído por sorteio eletrônico ao Pleno do TJ, sendo o desembargador José Francisco do Nascimento o relator. Em nota, a assessoria do magistrado informou que está analisando o caso “dentro dos prazos e com observância dos procedimentos específicos atinentes à matéria”.

Além desse processo, está em tramitação na Câmara Criminal um recurso da defesa do acusado, solicitando que o pagamento do salário continue sendo realizado. No entanto, o mandado de segurança ainda não foi analisado.

A lentidão para finalizar o processo de exoneração e a possibilidade do réu continuar recebendo o salário, revolta os familiares da vítima e preocupa o promotor Benigno Filho, responsável pela acusação de Alisson Wattson, que vai a júri popular no mês de agosto. 

Com informações portalodia

A Prefeitura Municipal de Altos,  prorroga Concurso Público, destinado ao provimento de cargos efetivos. O período final das inscrições foi alterado, sendo que, agora interessados podem efetuar candidatura até o dia 13 de junho de 2018, por meio do endereço eletrônico www.crescerconcursos.com.br. A taxa de participação tem valor entre R$ 61,66 a R$ 110,71.

concurso publico dicas

Estão disponíveis neste certame 132 oportunidades distribuídas nas funções de Médico SAMU (4); Enfermeiro SAMU (1); Condutor SAMU (8); Técnico em Enfermagem - SAMU (3); Dentista ESF (3); Enfermeiro ESF (3); Médico ESF (5); Atendente de Consultório - ESF (3); Auxiliar de Enfermagem (5); Auxiliar em Enfermagem (2); Agente Comunitário de Saúde (7); Enfermeiro 24h (2); Enfermeiro Obstetra (3); Médico Plantão - 24h (2); Fisioterapeuta (1); Técnico de Raio X (1); Assistente Social (1); Farmacêutico (1); Agente de Combate às Endemias (2); Educador Físico NASF (1); Nutricionista - NASF (1); Psicólogo - NASF (1); Fisioterapeuta - NASF (1); Assistente Social - NASF (1); Auxiliar Serviços Diversos - Zelador e Merendeira (10); Motorista (1); Vigia (10); Agente Administrativo (1); Técnico Agrícola (1); Professor AEM, Professor de Educação Infantil e de Ensino Fundamental de 1º ao 5º ano - Zona Urbana (24) e Zona Rural (16); Professor AS - Educação Física (2); Professor AS - Inglês (2); Contador (1); Procurador do Município (1); Psicólogo (1).

Os candidatos selecionados com escolaridade de Nível Fundamental a Superior serão lotados no SAMU; ESF; Hospitais das áreas de Zundão, Quilombo, Bom Gosto, Bom Passar, Maravilha, São Luís e Boca de Barro; NASF; e na Prefeitura.

Com carga horária de 12h/36h a 24h/72h, ou de 24h a 40h por semana, os aprovados farão jus à remuneração com valor entre R$ 954,00 e R$ 4.500,00.

Serão aplicadas Provas Objetivas para todos os inscritos, e Provas de Títulos somente aos candidatos dos cargo de Professor e Procurador. Os profissionais que concorrem à função de Procurador também serão submetidos à Prova Discursiva.

Com informações mn

A Ordem dos Advogados do Brasil - OAB, subseção Campo Maior, realizou na manhã desta quinta-feira 24/05 em sua sede, a criação da Subcomissão de Informática e a posse de seu novo presidente o advogado Eliardo Lima Cerejo.  

Durante a solenidade estiveram presente Presidente da Subseção de Campo Maior Dr Wilson Spíndola, Dr Nicollas Rafael além do jovem advogado maranhense Dr Renan Moura.

5bd42f36 f788 494c b1bf 82554b22d444

Para o Dr Eliardo Cerejo a criação da subcomissão na cidade é de suma importância, pois vivemos na era da informatização, do processo eletrônico e dos crimes virtuais, o direito evolui assim como a informática e essa união é indispensável nos dias de hoje. O Advogado também aproveitou a oportunidade para agradecer ao Presidente da Subcomissão, "Agradeço ao Dr Wilson Spíndola pela oportunidade e confiança em mim depositada, me colocando a frente desta tão importante subcomissão."    

Segundo o Dr Spíndola, a subseção da OAB de Campo Maior vem se destacando de forma a contribuir com o desenvolvimento da sociedade, garantindo a efetivação e aplicação das leis presentes no ordenamento jurídico brasileiro.

A 9ª Promotoria de Justiça pediu a prisão preventiva do policial militar envolvido em uma briga com o cantor Saulo Dugado em uma padaria localizada na Zona Leste de Teresina, na última quinta-feira (17). O PM é um dos suspeitos de envolvimento no sumiço de parte do dinheiro roubado durante um assalto ao banco do Nordeste em dezembro de 2018 em Teresina.

confusao padaria 2

O pedido veio por que o policial, que responde a processo criminal, estaria em liberdade sob a condição de não portar arma de fogo (exceto em serviço) e não se envolver na prática de novos delitos. O pedido foi feito pelo promotor Assuero Stevenson da 9ª Promotoria de Justiça.

A defesa do policial militar Wanderley Rodrigues da Silva argumentou que o policial agiu de forma a manter a ordem. "Ele tem o dever de agir em uma situação em que ele presencia um crime. A lei obriga a ele, e ele teve de usar a força moderada. Ele foi extremamente profissional", disse o Walter Menezes, advogado do policial.

De acordo com o advogado, o policial fez dois disparos em direção ao chão. Um dos disparos acertou uma das coxas do cantor Saulo Dugado. "Intuito dele foi cessar aquela agressão", disse Walter. De acordo com a defesa, o policial registrou um boletim de ocorrência e passou por exames de corpo de delito na manhã desta sexta-feira (18).

O cantor Saulo Dugado permanece internado em um hospital particular de Teresina. Ele foi atingido por um disparo em uma das coxas, e a bala se alojou no joelho. O cantor disse que a confusão começou após um "bate-boca" entre ele e o gerente do estabelecimento.

"Eu admito que estava num momento ruim, sou um ser humano e tenho oscilações de humor e destratei algumas pessoas. Mas ele devia me chamar e dizer: ou você se retira do local ou lhe dou voz de prisão", argumentou Saulo.

Com informações G1

paraiba60pronto