trilhafull

Durante depoimento, dentista nega racismo e diz que deveria ter agredido a vítima

A delegada Cinthya Verena, de São Raimundo Nonato, afirmou nesta quinta-feira (19) que a dentista Delzuíte Ribeiro de Macêdo negou que tenha cometido o crime de racismo e que estaria arrependida porquê deveria ter agredido fisicamente a vítima. A delegada veio a Teresina para colher o depoimento da dentista, que foi presa acusada de racismo contra a mãe e um bebê de dois meses. 

1955168759

“Eu fiquei abismada porquê ela não apresenta nenhum arrependimento, pelo contrário, se diz revoltada e que está sendo injustiçada. Ela diz que deveria era ter agredido a vítima”, descreveu.

A delegada acrescenta que durante o depoimento leu as postagens e ela confirmou que é autora da mensagem. Sobre a postagem “Vc saiu da senzala porém a senzala ainda não saiu de você”[sic],a dentista alegou que queria mostrar que ela morava em São Raimundo Nonato e que a vítima era da cidade de Bonfim do Piauí. “Ela diz que queria dizer que São Raimundo Nonato era uma cidade desenvolvida”, completa a delegada.

Cinthya Verena relata ainda que questionou sobre a postagem  feita supostamente pela dentista após sua prisão onde ela ironiza o sistema prisional. “Segundo a dentista, ela não é a autora do post e ela se irritou por saber que alguém está usando o nome dela pra postar notícias falsas”, contou.

A delegacia de crimes virtuais será acionada para investigar a autoria da mensagem. Segundo a delegada, existem de seis a sete denúncias de crimes contra a honra e somente uma por racismo. A dentista está com prisão temporária de cinco dias e possivelmente sairá no sábado.

A delegada lamentou e classificou o crime como lamentável.  “É lamentável. Eu como mulher e negra me senti ofendida. Mas a repulsa foi geral”, lamentou.

Outro lado

O advogado Wisner Ribeiro, que defende a dentista, afirmou ao Cidadeverde.com que a família está tomando todas as medidas cabíveis  e que Delzuite Ribeiro de Mâcedo deverá ser solta no final de semana.

"Vamos defender que não houve crime de racismo, mas de injúria racial e que ela tem problemas psíquicos", afirmou o advogado.

Sobre a postagem atribuída a Delzuite após a prisão, Wisner disse que alguém fez uma perfil falso para prejudicá-la. 

"Esse perfil é um fake e é um afronta ao Estado e certamente a Secretaria de Segurança está investigando para que os responsáveis sejam punidos", disse o advogado. 

Para o advogado, a prisão foi "injusta" e "desnecessária".

"Delzuite em nenhum momento foi procurada para prestar esclarecimento na delegacia da cidade. Essa decisão só atende a influência da mídia e o clamor social". 

Com informações CV

paraiba60pronto