trilhaoutubro2018

Acusado de assassinar Cabo da PM é morto após tiroteio

Um dos acusados de assassinar o cabo Claudemir Sousa, do Batalhão de Operações Especiais (BOPE), ocorrido em 2016, foi alvejado por disparos de revólver do conjunto Betinho, na zona Sul de Teresina.

Weslley Marlon Silva foi baleado em uma troca de tiros com a polícia e chegou a ser levado para o Hospital de Urgência de Teresina (HUT), mas não resistiu. Ele teria reagido a uma abordagem policial  e foi baleado na cabeça.

b3b847dd b1c2 4ade 8791 39962eb2b8dc

CRIME

O cabo  Claudemir Sousa foi  executado com vários tiros após sair de uma academia na avenida principal do Saci no dia 6 de dezembro de 2016.

Após o assassinato, cinco pessoas foram presas acusadas de envolvimento no crime, incluindo um funcionário da Infraero acusado de ser o mandate do assassinato, e também um taxista, que foi o responsável por agenciar quatro homens para matar o policial militar. Na tarde do mesmo dia foi preso Flávio Willames, que havia saído há dois meses do Complexo de Pedrinhas, em São Luís-MA.

Em janeiro de 2017, o promotor Régis de Moraes Marinho denunciou oito acusados da morte do policial: Maria Ocionira Barbosa de Sousa (ex-diretora administrativa do Hospital Areolino de Abreu), Leonardo Ferreira Lima (ex-funcionário da Infraero), Francisco Luan, Thaís Monait Neris de Oliveira, Igor Andrade Sousa, José Roberto Leal da Silva (taxista), Flávio Willame da Silva e Weslley Marlon Silva.

Em janeiro de 2018, o juiz Antônio Reis Nollêto, da 1ª Vara do Tribunal do Júri, mandou soltar os oito envolvidos no crime. 

Com informações MN

Cabo  Claudemir Sousa foi assassinado em 2016
Cabo Claudemir Sousa foi assassinado em 2016

paraiba60pronto