trilhafull

POLICIAL

 

A delegada Cinthya Verena, de São Raimundo Nonato, afirmou nesta quinta-feira (19) que a dentista Delzuíte Ribeiro de Macêdo negou que tenha cometido o crime de racismo e que estaria arrependida porquê deveria ter agredido fisicamente a vítima. A delegada veio a Teresina para colher o depoimento da dentista, que foi presa acusada de racismo contra a mãe e um bebê de dois meses. 

1955168759

“Eu fiquei abismada porquê ela não apresenta nenhum arrependimento, pelo contrário, se diz revoltada e que está sendo injustiçada. Ela diz que deveria era ter agredido a vítima”, descreveu.

A delegada acrescenta que durante o depoimento leu as postagens e ela confirmou que é autora da mensagem. Sobre a postagem “Vc saiu da senzala porém a senzala ainda não saiu de você”[sic],a dentista alegou que queria mostrar que ela morava em São Raimundo Nonato e que a vítima era da cidade de Bonfim do Piauí. “Ela diz que queria dizer que São Raimundo Nonato era uma cidade desenvolvida”, completa a delegada.

Cinthya Verena relata ainda que questionou sobre a postagem  feita supostamente pela dentista após sua prisão onde ela ironiza o sistema prisional. “Segundo a dentista, ela não é a autora do post e ela se irritou por saber que alguém está usando o nome dela pra postar notícias falsas”, contou.

A delegacia de crimes virtuais será acionada para investigar a autoria da mensagem. Segundo a delegada, existem de seis a sete denúncias de crimes contra a honra e somente uma por racismo. A dentista está com prisão temporária de cinco dias e possivelmente sairá no sábado.

A delegada lamentou e classificou o crime como lamentável.  “É lamentável. Eu como mulher e negra me senti ofendida. Mas a repulsa foi geral”, lamentou.

Outro lado

O advogado Wisner Ribeiro, que defende a dentista, afirmou ao Cidadeverde.com que a família está tomando todas as medidas cabíveis  e que Delzuite Ribeiro de Mâcedo deverá ser solta no final de semana.

"Vamos defender que não houve crime de racismo, mas de injúria racial e que ela tem problemas psíquicos", afirmou o advogado.

Sobre a postagem atribuída a Delzuite após a prisão, Wisner disse que alguém fez uma perfil falso para prejudicá-la. 

"Esse perfil é um fake e é um afronta ao Estado e certamente a Secretaria de Segurança está investigando para que os responsáveis sejam punidos", disse o advogado. 

Para o advogado, a prisão foi "injusta" e "desnecessária".

"Delzuite em nenhum momento foi procurada para prestar esclarecimento na delegacia da cidade. Essa decisão só atende a influência da mídia e o clamor social". 

Com informações CV

Na noite deste sábado 14/04, policiais da Força Tática ao realizarem seu patrulhamento urbano de rotina, avistaram dois indivíduos em atitude suspeita no centro de Campo Maior. Os policiais realizaram uma abordagem e acabaram encontrando na posse de um dos indivíduos um simulacro de arma de fogo que provavelmente seria utilizado para a prática de assaltos. 

indi

Os elementos foram encaminhados a Delegacia Regional de Campo Maior para a realização dos procedimentos necessários.

30726788 357480068092696 7677823811961487360 n

 

Ré no processo que investiga a morte de um policial do Bope, em 2016, Thaís Monait Neris de Oliveira, 26 anos, teve o cabelo cortado, as sobrancelhas raspadas e sofreu tentativa de linchamento após um assalto frustado a um salão de beleza no bairro Planalto Ininga, na zona Leste da Capital. 

O crime ocorreu por volta das 21h, desta segunda-feira (02). Segundo a delegada Ana Luiza Marques, titular da Central de Flagrantes, a suspeita teria participado do assalto com um comparsa que conseguiu empreender fuga. 

41aa84471f93c8da3da1fc432f3db091

"Ela chegou com o comparsa com o subterfúgio de que queria fazer o cabelo e a sobrancelha. Assim que a funcionária disse que era possível, os dois anunciaram o assalto...subtraíram cerca de R$ 1 mil do caixa, além de celulares de funcionários e clientes", conta a delegada. 

Contudo, quando os suspeitos empreendiam fuga, uma cliente reagiu e travou luta corporal com o comparsa de Thaís que estava armado.

"A cliente conseguiu se desvencilhar do suspeito e saiu pra rua pra pedir ajuda. Nisso, o suspeito fugiu e a população conteve a mulher", disse a delegada que acredita que o fato de Thaís ter o cabelo cortado e as sobrancelhas raspadas tem relação com o pretexto utilizado pela suspeita.

"Ela fingiu ser cliente e disse que queria fazer o cabelo e a sobrancelha... por isso a população reagiu daquela forma. Acredito que a atitude não seria por que a reconheceram no caso do policial do Bope, mas por ela ser mulher e ter ido ao salão com o pretexto de que queria fazer o cabelo e a sobrancelha", conta a delegada. A suspeita foi levada a audiência de custódia e teve o mandado de prisão convertido em preventiva na manhã desta terça-feira (03). 

Além da participação no assalto ao salão de beleza, a suspeita é investigada em roubos na zona Sul de Teresina.

Com informações CV

Um idoso de 90 anos, identificado por Raimundo Dorneles de Oliveira, foi morto a facada,  na madrugada de segunda-feira 02/04,  por uma sobrinhacom problemas mentais próximo a localidade Alto da Cruz, zona rural de José de Freitas.

Segundo um sobrinho da vítima, que presenciou o homicídio, Maria Dorneles levantou por volta das 5h30min e falou de iria fazer o café, oportunidade em que ouviu um barulho, ao sair do quarto presenciou Raimundo Dorneles com uma facada no peito, já em óbito.

590e014c cfcf 464b 9c0b 2fc981011f3f

Após desferir a facada no idoso, Mariana correu e se escondeu em um matagal, próximo a sua residência. Mariana Dorneles, que é acompanhada pelo CAPS de José de Freitas, foi presa por uma guarnição da Policia Militar e encaminhada ao 17º Distrito Policial, desta cidade, onde o delegado Divanilson Sena deverá tomar as medidas cabíveis ao caso.

Com informações do realidadeemfoco

paraiba60pronto