trilhaoutubro2018

POLICIAL

 

Policiais militares do 15° Batalhão da Polícia Militar conseguiram recuperar na noite dessa terça-feira, (30), a moto Yamaha 125, (de cor preta), que estava em poder do marchante Jardel Araújo, de 30 anos, encontrado morto, na manhã dessa terça-feira, na cidade de Cocal de Telha, na região de Campo Maior.
motojardel2

O veículo estava abandonado no lixão, localizado nas margens do Açude de Campo Maior, e foi localizada por um popular, que passava pela Orla do Açude. De acordo com o major Etevaldo Silva, comandante do 15º BPM, a moto estava em poder de Jardel e também estava desaparecida desde a noite de sábado passado.
motojardelok

O veículo foi levado para a Delegacia Regional de Campo Maior, já que faz parte da investigação sobre a morte de Jardel. O comandante do 15º BPM informa que no corpo encontrado nas margens de um rio em Cocal de Telha foram identificados vários ferimentos que se caracterizam como sendo de uma arma branca.
motojardel3

“Só a Perícia Criminal pode confirmar, mas levantamentos feitos no local onde o cadáver foi encontrado nos levam a crer que Jardel foi vítima de ferimentos provocados por arma branca”, detalha Etavaldo Silva.

motojardelok1   

A cabeleireira Netinha Matias, 40 anos, foi espancada a socos e pontapés no rosto e pernas por dois rapazes no município de Sigefredo Pacheco . O crime causou revolta na cidade e circulou como se fosse provocado por questões política. A vítima aparece em um vídeo - que circula na internet - com o rosto desfigurado e cita o nome do candidato Jair Bolsonaro (PSL). Em depoimento a Polícia, a travesti nega que tenha motivação política.
netosigefredo   

De acordo com o delegado Andrei Alvarenga, dois suspeitos foram conduzidos a Delegacia Regional de Campo Maior para prestar depoimento. Os três foram ouvidos na tarde desta quarta-feira (26).

No vídeo gravado logo após as agressões, Netinha cita os nomes dos agressores e o motivo pelo qual a agressão ocorreu.  VEJA:


Em seu perfil, Netinha participa da campanha #EleNão,  promovida por mulheres contra o nome de Jair Bolsonaro à Presidência da República. 

"O flagrante está sendo finalizado. Até o momento, o que indica é que ela foi agredida por uma questão de mal entendimento. Todos já se conheciam. Houve uma discussão e as agressões começaram. Está se espalhando que a agressão tem cunho político, mas as pessoas estão politizando demais", citou o delegado, alegando que as oitivas esclarecerá o que motivou às agressões.  

"A questão é que uma pessoa foi gravemente ferida ao ponto de fingir um desmaio, que estava morta, para que as agressões acabassem. Bateram muito nela", acrescentou o delegado.

No seu depoimento, a vítima afirmou que estava sendo extorquida por dois rapazes de nome "Pedro e Wesley". Segundo Netinha, os agressores tentaram lhe enforcar e que eles estavam "parecendo dois animais violentos".

netinha

Sobre a questão política, Netinha nega, mas crê que eles agrediram também por ela ser travesti. Veja na íntegra parte do depoimento. 

cbe84fe242d711353d2655539fca996c

O corpo de um homem foi encontrado dentro do Rio Longá, na margem da BR-343, em Campo Maior. O cadáver, encontrado no quilômetro 261 da BR, entre o Posto da Rosa Freitas e a entrada da comunidade Alto do Meio, estava boiando dentro de um saco. A Polícia Civil, que já está no local, acredita ser de um homem identificado como Anderson.
corpoboiando3

 O corpo foi encontrado por pescadores no início dessa tarde de terça-feira, 25.09. Logo em seguida a polícia foi acionada e já está no local. A Perícia e o IML foram acionados para descobrir o que ocasionou a morte do homem.
corpoboiando2

De acordo com policiais, um rapaz chamado Anderson, que mora na Vila Papi, está desaparecido há três dias e por isso acredita se tratar desse homem, conhecido por Andinho, mas até o momento o corpo não teve o reconhecimento confirmado.
corpoboiando

5555545

FOTOS: Reprodução PM

Policiais do 15° Batalhão de Polícia Militar de Campo Maior prenderam na noite desta segunda-feira (24/09), um individuo identtificado como John Klênio. Segundo a polícia, populares denunciaram através do telefone 190, que o mesmo andava armado pelas ruas do bairro e efetuando disparos. No momento da abordagem os policiais encontraram no poder de John, um revólver calibre 38, com duas munições intactas. 

Informações repassadas pela polícia é que Jhon teria efetuado os disparos contra um desafeto, identificado como "Luquinhas". John Klênio é velho conhecido da polícia. Ele é acusado de ter praticado vários assaltos em Campo Maior utilizando uma motocicleta e sempre no poder de arma de fogo.

54443212

 

paraiba60pronto