trilhafull

POLICIAL

 

Um homem identificado como Luis Carlos de Lira, de 46 anos foi esfaqueado e morreu às 12h28 de domingo na calçada da sede do 5º Batalhão da Polícia Militar (BPM), no bairro Planalto Ininga, na zona Leste de Teresina.

A chefe da Seção de Comunicação Social da Polícia Militar (PM), coronel Elza, disse que o homem foi lesionado com três golpes de arma branca nas costas e correu para pedir socorro aos policiais militares do 5º BPM, mas caiu na calçada do quartel por causa da gravidade dos ferimentos.

1b54822c 18fd 448c a624 5982d03e2337

Segundo a coronel Elza, o médico e paramédicos do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou a socorrer o homem, mas ele não resistiu aos ferimentos e morreu.

Um sobrinho da vítima que se identificou apenas como Luizinho, afirmou que a vítima era morador de rua e se chamava Luis Carlos de Lira.

Uma delegada e agentes do Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoa- DHPP e os peritos do Instituto de Criminalística foi até o local. Os policiais do 5º BPM estão apurando onde Luis Carlos foi esfaqueado.

O corpo do homem foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) para realização de exame cadavérico.

Com informações MN

O advogado do ex-governador Zé Filho, Francisco Alberto Portela Duarte, mais conhecido como Bebeto Portela, morreu nessa manhã de sábado, na BR-343, após o carro que ele conduzia, uma Hilux Preta, de placas NIH-3879, sair da pista e capotar. Ele andava com uma pessoa, identificada como Wesley, que sofreu apenas ferimentos leves.
advogadomorre1

De acordo com o policial Marcelo, da Central de Informações da PRF, o acidente aconteceu por volta das 10 horas, no KM 286,4, nas proximidades da chácara Petrolina, em Campo Maior. O advogado seguia para Teresina, quando perdeu o controle do carro.

Ele havia saído de Piracuruca, onde tem um escritório de advocacia, e tinha como destino a cidade de Teresina, mas a viagem foi interrompida. A PRF acionou a perícia da Polícia Civil para investigar as causas do acidente. O corpo do advogado ainda fiocou algumas horas no local aguardando a chegada do IML. 

   

    

Um oficial do Corpo de Bombeiros do Piauí foi preso pelo crime de estupro de vulnerável. O mandado de prisão preventiva foi cumprido hoje na sede da corporação, localizado na Avenida Miguel Rosa, zona Sul de Teresina.

Ele foi identificado como Edson Carlos de Silva Lima, e ingressou nos quadros da corporação pela Polícia Militar há mais de 20 anos. Edson integrava o quadro de oficiais complementares do Corpo de Bombeiros. Edson cumprirá pena de 10 anos.

estupro 1

Foto: ilustrativa

De acordo com o subcomandante dos Bombeiros, José Drumond, Edson foi levado, primeiramente, ao Instituto de Medicina Legal (IML) para os procedimentos cabíveis e depois será encaminhado para o prédio militar, no bairro Ilhotas, também na zona Sul da capital. 

A condução do oficial foi realizado pela Polícia Civil do Piauí com apoio da Polícia Militar. 

“Foi dado cumprimento agora pela manhã. Ele estava no expediente normalmente, mandei chamar ele para dar a voz de prisão”, disse o coronel. 

O subcomandante esclareceu que o oficial estava afastado apenas do serviço e das funções operacionais, mas cumpria expediente na parte administrativa. 

Um Conselho de Justificação foi criado no dia 3 de abril deste ano para apurar a conduta do oficial. O subcomandante acrescentou que esse processo está em finalização. Após conclusão, o Conselho emitirá uma posição sobre o destino do oficial nos quadros do Corpo de Bombeiros, ele poderá ser expulso ou ir para a aposentadoria remunerada. 

O mandado de prisão foi expedido pela 6° Vara Criminal. 

Para o coronel, a prisão pelo crime de estupro é um “sentimento de pesar” por se tratar de um colega de farda. 

“Mas nós estamos dando cumprimento a decisão judicial logo após o processo em que ele teve todo o amplo contraditório para se defender. A corporação tem esse sentimento de pesar, mas não podemos permitir nas fileiras pessoas condenadas pela justiça, principalmente neste tipo de crime”.

O crime

O crime de estupro de vulnerável ocorreu em motel na BR-316 no dia 7 de dezembro de 2009. A vítima era uma criança de 12 anos. Ela e uma amiga (de 13 anos) foram abordadas enquanto iam para a escola em Teresina. O oficial estava acompanhado pelo irmão, que também era policial militar. Eles eram conhecidos das crianças, pois eram instrutores delas do Pilotão Mirim da Polícia Militar, que é um projeto social da corporação.

les a convenceram a entrar no carro e irem até um balneário em Nazaria. No local, testemunhas presenciaram eles ingerindo bebidas alcoólicas e as meninas banhando apenas de calcinha. Ao sair do balneário, o oficial foi com uma das crianças para o motel, onde ocorreu o crime. 

A investigação apontou que não havia elementos o suficiente para comprovar que a segunda criança também foi estuprada. 

O irmão do oficial morreu há alguns anos eletrocutado. Ele estaria fazendo uma ligação clandestina quando recebeu a descarga elétrica.  

Operação Glosbe

O Bombeiro foi preso durante a Operação Glosbe, deflagrada pela Polícia Civil do Piauí, por meio da Divisão de Capturas/ Polinter. Além dele, foram presos Daniel de Moraes Sousa, por tráfico e associação para o tráfico. A prisão ocorreu no bairro Dirceu. Daniel foi condenado a 6 anos e 8 meses pelo crime praticado em 2010.

Núbia Pereira Lopes foi presa por roubo. A prisão ocorreu no bairro Ilhotas. Núbia foi condenada a cinco anos e quatro meses pelo crime praticado em 2013.

Com informações MN

Um garimpo clandestino de pedras preciosas foi desativado em Gilbués (a 797 km de Teresina) na última sexta-feira(15). Na operação, sete garimpeiros foram conduzidos à delegacia e apreendidas várias pedras preciosas, entre elas, esmeraldas.

A ação contou com policiais rodoviários federais, civis e representantes das Secretarias do Meio Ambiente (Semar) e da Fazenda (Sefaz).

whatsapp image 2018 06 18 at 10.42.05 1

O garimpo funcionava às margens do Riacho Marmelada, na zona rural de Gilbués. Os garimpeiros eram de outros estados do Brasil e foram detidos por extração ilegal, além de terem sido multados e instaurado procedimento administrativos de competência da Semar.

A multa ao responsável pelo garimpo foi de R$ 40mil, além da área ter sido embargada e dos equipamentos e ferramentas terem sido apreendidos.

Com informações CV

paraiba60pronto